Diocese de Novo Hamburgo

Ordenação - Cléber Rodrigues

- PASCOM DIOCESANA

Na sexta-feira, 07 de Dezembro acontecerá a Ordenação Sacerdotal do Diácono Cléber José Rodrigues, na Paróquia Nossa Senhora Medianeira - São Leopoldo.

 

1. Cléber José Rodrigues, nascido em São Leopoldo a 23 de outubro de 1989. Filho de Enelina Rodrigues e do já falecido Odir Rodrigues, irmão de duas mulheres mais velhas, Eliane Schmidt e Isabel Matias, estas com suas famílias próprias já  constituídas hoje, cresci na mesma cidade.
Apesar de batizado na diocese de Santa Cruz do Sul,  cresci na paróquia Nossa Sra. Medianeira em São Leopoldo, no bairro Vicentina, onde tive um verdadeiramente grande contato com o falecido padre Ruperto Jaegger, SJ, o qual foi minha primeira referência de figura sacerdotal pela proximidade com o povo e dedicação à comunidade, sem nunca deixar de falar da presença e misericórdia de Deus

2. Após a conversão de meus pais, começaram a participar do ECC e foram convidados a serem tios do CLJ em nossa recém criada paróquia, quando eu tinha cerca de 7 anos. Desde então, a Igreja e os compromissos relacionados com ela começaram a ser parte de minha rotina diária. Aos 10 anos, ingressei na catequese e no mesmo ano, no ONDA paroquial, que na época era um movimento numeroso e de grande expressão em todo o bairro. No ONDA tive toda a minha caminha eclesial pré-seminário. Permaneci no ONDA dos 10 aos 20 anos, passando, neste processo, de criança participante a um jovem protagonista no grupo e, consequentemente, na comunidade em suas atividades. Mais tarde, fui tendo oportunidades de participar de atividades extra-paroquiais, colaborando em paróquias vizinhas e momentos diocesanos do movimento. 
Com essas atividades com jovens de outras paróquias, aos 17 anos, conheci um padre que acompanhava o movimento e, vendo seu testemunho de alegria e dedicação em sua paróquia, o sacerdócio voltou a ser uma realidade possível, encantando-me com sua dimensão espiritual e pastoral. Tomei coragem, após algumas noites sem dormir, e pedi a ajuda deste padre para discernir minha vocação. Com muita oração e direção espiritual, terminei meu namoro da época e decidi, meses depois, pedir ingresso no seminário Betânia, tendo participado de seus encontros de discernimento vocacional. Ingressei no seminário Betânia em 2010 e fiz pastoral na paróquia Santa Catarina em SL; segui para o discipulado em São Paulo em 2011 e ajudei na paróquia São Judas e Santa Clara de Embú das Artes por dois anos. Regressei à diocese  para iniciar a etapa de Configuração em 2013 e de lá pra cá trabalhei nas paróquias Santa Teresinha de Campo, povo que me ensinou a ter coração de pastor; São Jorge e Nossa Senhora Medianeira de São Leopoldo; N .Sra. de Lourdes em Nova Hartz e agora, em 2018, na par. Santo Antônio, em NH. 

3. Minha família foi quem colocou Deus na minha vida. Vendo o testemunho de minha mãe que nunca deixou de rezar e desde sempre me consagrou a Deus, e tendo visto a conversão radical de meu pai às coisas de Deus, cresci com uma fé de berço que se reflete em tudo hoje na minha vida.

4. A ordenação diaconal em minha vida significa o olhar misericordioso de Deus que um dia fixou seus olhos em mim e desde então nunca desviou este amoro olhar. É com profundo sentimento de gratidão pela misericordiosa eleição de Deus que viverei esta ordenação e consagração já, desde agora, definitiva.

5. Muitas são as dificuldades sem dúvida: perseguições, injustiças, correções que resumem a cruz que deve carregar quem queira seguir os passos do Senhor. Ainda assim, muito maiores são as alegrias que vive um vocacionado: o amor do povo de Deus para comigo, a força que vem da oração do mesmo povo, o descobrimento da fraternidade sacerdotal por parte de alguns padres mais próximos, a paternidade episcopal e a realização da pastoral que vem de estar junto ao povo de Deus conduzindo-o ao Senhor e recebendo disto as confirmações vocacionais.

6. Aos leitores, jamais deixem de rezar pelos seminaristas e sacerdotes. Quanto mais avançava nas etapas formativas, mais eu pude testemunhar o que podem ser dificuldades vividas neste processo. Como em todas as vocações humanas, o sacerdócio é loucura aos olhos dos homens e uma decisão que exige um grande ato de amor de cada chamado. É por amor a vocês que cada um de nós se entrega a Deus. Rezem por todos nós, na certeza de nossa oração por vocês.