Diocese de Novo Hamburgo

Mês Diocesano do Dízimo

- Pastoral do Dízimo

"Enchei as talhas" Jo 2,7

 

Estimado pároco, queridos irmãos e irmãs da Pastoral do Dízimo, no episódio das Bodas de Caná os empregados recebem duas ordens de Jesus: a primeira é de fácil obediência - "enchei as talhas", a segunda requerer um pouco mais de confiança pois parece um absurdo - "sirvam ao encarregado da festa". Em meio a falta de vinho os empregados sabem com o que encheram as talhas: água. Mas antes das ordens eles receberam um conselho materno "façam tudo o que Ele vos disser". Atentos ao conselho e obediente as ordens os empregados presenciam um grande milagre. 

Em nossas comunidades frequentemente presenciamos milagres que brotam da fé do nosso povo confiantes na Providência Divina.

O Mês Diocesano do Dízimo quer ser uma proposta de refletirmos em comunidade o quanto a nossa fé permite a ação de Jesus. Será uma oportunidade de apresentarmos ao nosso povo que o Dízimo é objeto de milagre, pois com ele torna se possível a evangelização. 

Segue o cartaz que confeccionamos para este Mês Diocesano do Dízimo. Este já foi oferecido aos padres na reunião do Clero, mas se não receberam ou precisarem mais podem solicitar que providenciaremos. Podem fixa los em lugares públicos nas comunidades como secretárias paroquiais, murais nas igrejas e centros de pastorais. 

Preparamos uma pequena reflexão destinada as Pastorais e Movimentos. Esta pode ser usada como oração inicial de uma reunião ou encontro. Nossas lideranças são como os empregados da festa: testemunhas do milagre do Dízimo em nossa Diocese.

Estaremos também publicando em nossa página no Faceboock, Pastoral do Dízimo NH, pequenas reflexões.

Estamos a disposição para auxilia los no que precisarem.

Um abraço de fiquem com Deus.

 

Pe Jacó André Wuaden

Valdemar da Silva

 


 

Reflexão:

 

ENCHEI AS TALHAS

Leitura de Jo 2, 1-11

(breve silêncio)

            Segundo o Evangelho de São João, nas Bodas de Caná é onde acontece o primeiro grande sinal do Messias. Neste belo episódio contemplamos coisas significativas à nossa fé: o Matrimônio, a alegria, a vida nova em Jesus e como não destacar a intercessão materna da Virgem Maria.

            Vamos olhar com atenção o que São João chama de sinal: o milagre. Após tomar conhecimento da necessidade dos noivos, por sua Mãe, Jesus percebe seis talhas de pedras com uma capacidade de 100 litros cada. Jesus pede para os serventes que encham as talhas de água. Após certo tempo as enchem até o limite. A nova orientação de Jesus é que sirvam ao encarregado da festa, que provando, verifica tratar-se de um vinho de excelente qualidade.

            Milagre é uma exclusiva e livre manifestação divina em socorro de uma realidade ou necessidade humana. Notem que Jesus não faz do milagre um show de ilusionismo. Os milagres não servem para distração ou diversão do público. Serve para manifestar o poder de Deus atrelado a fé dos homens. Observe que no episódio em Caná, as talhas cheias são uma condição para o milagre acontecer.

            Em nossa comunidade muitos são os milagres que acontecem frequentemente.

            As talhas somos nós, paroquianos. A água é a fé que trazemos em vasos de barro. O Dízimo é fruto de nossa fé.

Sem fé nosso Dízimo pode parecer tão pouco. Mas colocado com fé na comunidade, junto à outras “talhas cheias” Deus realiza o milagre de alimentar, orientar, curar e restaurar tantas vidas. Torna possível também locais de oração e culto (igrejas e capelas), evangelização (centros de pastorais e salões comunitários) e cenários do Reino do Céus (missões).

            O nosso Dízimo é o que torna possível os inúmeros trabalhos e ações evangelizadoras que temos em nossa Comunidade e em nossa Diocese.

            Sejamos talhas cheias a disposição de Jesus. Sejamos objetos de milagres. Sejamos dizimistas conscientes.

 

Para breve conversa

* Tenho contribuído com o Dízimo?

* O Dízimo que entrego tem expressado minha fé?

* O que nossa Pastoral ou Movimento tem recebido de benefícios oriundos do Dízimo da comunidade?

 

Rezemos pelo nosso Bispo diocesano, pelo nosso Pároco (Vigários e Auxiliares), Diácono, Pastorais e Movimentos e famílias dizimistas: PAI NOSSO... AVE MARIA...

 “Pai Santo, contemplando Jesus Cristo, Vosso Filho Bem Amado que se entregou por nós na cruz, e tocado pelo amor que o Espírito Santo derrama em nós, manifesto, com esta contribuição, minha pertença à Igreja, solidário com sua missão e com os mais necessitados. De todo o coração, ó Pai, contribuo com o que posso: recebei, ó Senhor. Amém”

(Doc 106 CNBB).