Diocese de Novo Hamburgo

Vocação, o que é?

- Pe. Ramiro Mincato

                Vocação, o que é? “Vocação” não tem a ver só com chamado a ser padre ou religiosa/o na Igreja. O termo vem do latim VOCATIONEM, de VOCATUS, particípio passado de VOCARE, que significa “chamar”, derivado do termo VOZ.  Vocação tem a ver com voz, e esta vem do interior do ser humano. Não vem nem da mídia traidora dos pobres, nem das leis do mercado. Vocação é a voz interior que busca, de alguma maneira, realizar o bem. E aqui não se trata do bem de si mesmo – o que seria simplesmente uma resposta biológica automática produzida pelo instinto – mas, ao contrário, do bem que deriva do amor do Pai, revelado por Jesus, que o ser humano é chamado a realizar na busca do bem dos outros por meio do trabalho, do estudo, da ação e do interesse, ou por meio de uma especial maneira de viver. Para nós cristãos, vocação humana coincide exatamente com a vocação cristã, pois somos chamados por Deus a uma realização plena, a luz de Cristo. Somos chamados a crescer  do ponto de vista humano.

            Por que o chamado? Porque todo ser humano é um “eu” em devir, é um projeto de futuro, porque não somos codificados e predeterminados pelos instintos como os animais, porque nenhum ser humano nasce pronto. O animal tem todas as respostas inscritas na natureza ou código genético. O Ser humano, ao contrário, deve ser construído, e, para isso, entram em jogo, neste processo de crescimento humanitário, tanto a educação como a moral.

            Educação para quê? A educação, por sua vez, não é possível sem valores, assim como não existe ciência neutra ou escola sem ideologia. Os valores são coeficientes sociais (não do indivíduo, menos ainda das suas pulsões) por meio dos quais as populações tentam viver da melhor maneira possível, e não da pior maneira possível. Os valores vem de fora do indivíduo, vem da sociedade, vem dos pais, vem das normas morais, vem da religião.

            Por que vocação a ser humano? Flaubert, romancista francês, demonstrou esta dimensão social do ser humano quando levantou a pergunta: “Por que querer ser alguma coisa quando se pode ser alguém?” Só pode ser alguém quem sabe relacionar-se e isto significa, simplesmente, tornar-se humano. Ser alguém por quê, para quem, e com quem? Impossível ser “alguém” para “ninguém”. Ser alguém exige reciprocidade, e nada e nem ninguém neste mundo pode dar reciprocidade senão uma outra pessoa: nem o dinheiro, nem uma paisagem deslumbrante, nem o mar ou a montanha… porque não são capazes de oferecer reciprocidade e não podem te dar humanização. Tanto a educação como a evangelização tem a tarefa de humanizar.

            A vocação é resposta à voz interior, para ser mais, crescer como ser humano, superar os instintos que nos fecham e diminuem. É abertura ao projeto de humanização. Vocação cristã a ser gente não é fuga da realidade, fixação no passado, medo de responsabilidades, deslumbramento por ritos e liturgias separados da vida. Vocação cristã é glorificar a Deus entregando a vida, como fez o Deus verdadeiro (o que os ídolos não fazem) que por amor deu a vida, e por amor entregou seu próprio Filho. Vocação é glorificar a Deus: dar a vida na defesa e no serviço aos outros. Como fez Jesus. É o caminho para ser mais humano, é o caminho para ser mais feliz.

            É urgente recuperar a vocação fraternidade e a paz, antes que seja tarde.

Pe. Ramiro Mincato