Diocese de Novo Hamburgo

A evangelização da Samaria | A Voz da Diocese 684

Dom Zeno Hastenteufel

Neste sexto domingo de Páscoa, nós nos encontramos com o belo trabalho de Felipe, na Samaria. Este diácono e mais um grupo de famílias foram expulsos de Jerusalém, porque eles eram cristãos e estavam convictos em torno do Cristo Ressuscitado.

Foram acolhidos nas montanhas da Samaria, onde puderam viver e se estabelecer com os seus pequenos rebanhos e trabalhar para o sustento. Mas, sempre, no primeiro dia da se-mana, eles se encontravam e meditavam a Palavra de Deus. Foram aprofundando a sua fé e cresciam no conhecimento sobre Jesus Cristo. Felipe, com sua confiança em Cristo, fazia verdadeiros milagres e o número de adeptos a cada semana, mais pessoas compareciam às celebrações desta comunidade.

E, quando os apóstolos, que estavam em Jerusalém, souberam que isto estava aconte-cendo na Samaria, mandaram para lá Pedro e João, testemunhas oculares do Ressuscitado. Eles confirmaram a comunidade e invocaram o Espírito Santo sobre todos eles. Era o primei-ro caso de verdadeiras confirmações.

Na segunda leitura, é São Pedro que anima as comunidades cristãs: “Santificai em vos-sos corações o Senhor Jesus Cristo e estai sempre prontos a dar a razão de vossa esperança a todo aquele que vo-la pedir. Fazei-o, porém, com mansidão e respeito e com boa consci-ência” (1 Pd 3,15-16). Este é um claro chamamento ao constante aprofundamento. Nós pre-cisamos ter as razões de nossa esperança, os motivos que nos levam à fé e firmam nossas convicções.

No evangelho é Jesus que começa a nos preparar para a vinda do Espírito Santo. “Se me amais, guardareis os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai e ele vos dará um outro defensor, para que permaneça sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não é capaz de receber, porque não o vê e não o conhece... Não vos deixarei órfãos” (Jo 14, 15-18).

É a primeira palavra oficial de Jesus, em preparação à festa de Pentecostes, que esta-remos celebrando em quinze dias. É o Espírito Santo que virá e ficará conosco, ao longo da história, para nos fazer compreender toda esta revelação e obra de Jesus Cristo. E nós mani-festaremos a nossa fidelidade, pelo modo como vivemos a nossa fé e a nossa confiança no Senhor. Estamos fora de nosso habitual, mas com o Senhor