Já estamos de novo no último domingo de setembro, o dia da Bíblia, que neste ano cai no dia 30 de setembro, que é também dia da secretária, justamente porque no final do século IV, o Papa Dâmaso I tinha um secretário, muito prendado no estudo de línguas. Era o Pe. Jerônimo. Então o Papa o encarregou de preparar uma Bíblia, em latim, fidelíssima ao texto hebraico do Antigo Testamento e ao grego do Novo Testamento. 
Jerônimo estudou todas estas línguas e deste estudo saiu uma tradução oficial que se chama “A Vulgata”, uma Bíblia em latim, fonte para todas as outras traduções. É uma tradução que revela senso crítico, amor incontido à palavra de Deus e riqueza de informações sobre os tempos e os lugares sagrados. Este trabalho foi concluído em torno do ano 420. Graças a ele, temos uma Bíblia, praticamente original ou muito próxima dela. 
Na primeira leitura deste domingo, encontramos o caso de Eldad e Medad, que receberam um pouco do espírito de Moisés e continuaram profetizando. E a opinião de Moisés é fantástica: “Quem me dera que todo o povo do Senhor fosse profeta e que o Senhor lhe concedesse o seu espírito” (Nm 11,29).
O evangelho deste domingo nos mostra como a Palavra de Deus é exigente: “Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor ir para o céu, sem mão, do que para o inferno com as duas mãos” (Mc 9,43). É claro que nós ainda precisamos ver todo o contexto, ler melhor, refletir sobre todo o texto, mas é certo ele nos aponta um caminho sempre estreito. 
Mas, exigente mesmo é o apóstolo Tiago, na Carta que temos como segunda leitura: “Vossa riqueza está apodrecendo, e vossas roupas estão carcomidas pelas traças. Vosso ouro e vossa prata estão enferrujando... Vede: o salário dos trabalhadores que ceifaram vossos campos  está gritando e o clamor dos trabalhadores chegou aos ouvidos do Senhor todo-poderoso” (Tg 5,2-4). São palavras muito duras e que, em vésperas de eleições, soam como censura para os desonestos: - O que realmente adianta acumular riquezas, se alguém pode alguém pode nos acusar de desonestidade. Em alemão se diz: “Die saubere Hand geht durch das ganze Land”.