Pois, neste domingo, estou celebrando quarenta e seis anos de minha ordenação sacerdotal. Foi no dia 08 de julho, em 1972, muito frio, quando caiu neve em Salvador do Sul, e as estradas da Linha Francesa estavam cheias de lama, para lá foi o Cardeal Dom Vicente Scherer para ordenar mais um padre para a Arquidiocese de Porto Alegre. 
Era a primeira ordenação sacerdotal na matriz de Nossa Senhora da Natividade, que em suas paredes grossas acolhia uma multidão de amigos, de benfeitores e de curiosos que nunca tinham visto um filho de pobres colonos ser ordenado sacerdote de Jesus Cristo. 
A primeira missa de verdade eu rezei na manhã seguinte, na pequena capelinha do hospital de Barão, onde passei minha primeira noite de padre. Rezei só para meia dúzia de irmãs camilianas. Depois, fomos para Linha Francesa Alta, onde celebrei a festiva primeira missa que dava início aos grandes festejos. Tudo de maneira muito simples, mas com grande alegria para mim e para os meus familiares. 
Neste domingo em que realizamos a décima segunda romaria do Pe. Reus, em São Leopoldo onde eu vou celebrar  meus 46 anos de sacerdócio do Santuário do Sagrado Coração de Jesus, em São Leopoldo. 
A liturgia nos apresenta o Profeta Ezequiel, enviado para o meio de um povo de cabeça dura e coração de pedra, com a seguinte ordem: “Quer te escutem, quer não, pois eles são um bando de rebeldes, ficarão sabendo que houve entre eles um profeta” (Ez 2,5). 
No texto da segunda carta aos coríntios, Paulo confessa que “lhe foi espetado um espinho na carne para não se exaltar demais. Roguei três vezes ao Senhor que o afastasse de mim. Mas, ele disse-me: Basta-te a minha graça. Pois é na fraqueza que a força se manifesta” (2 Cor 12,7-9). Certamente se trata de alguma fraqueza ou alguma dificuldade particular que ele precisou contornar durante a sua vida. 
Enquanto isso, o evangelho nos apresenta a dificuldade de Jesus em sua terra. Faltava a fé. Eles diziam conhecê-lo de berço, conheciam os seus pais, achavam que era filho do carpinteiro José e nenhum milagre foi feito. Faltava a fé. Quando falta a fé, falta tudo! E nós temos tantas pessoas sem fé!