Muitas dioceses realizam neste domingo a Jornada da Saúde, com os textos da liturgia dominical. A atividade pública de Jesus está sendo testemunhada pelos doentes.  O leproso agradecido nos mostra que a saúde readquirida é muito mais do que a simples cura física, mas constitui um sinal da salvação que Deus nos concede através de Jesus. Esta recuperação encontra expressão nas palavras de Jesus: a tua fé te salvou!
A liturgia deste domingo gira em torno deste tema que ainda hoje traz tantas preocupações para o nosso povo, especialmente aos mais pobres, isto é, a questão da saúde e da doença. O texto do Antigo Testamento nos recorda a cena em que o sírio Naamã veio ao profeta Eliseu. O profeta simplesmente mandou um mensageiro para lhe dizer: “Vai lavar-te sete vezes no Jordão e a tua lepra estará curada”. O sírio ficou furioso e queria voltar para casa. Mas aconselhado pelos seus servos, foi ao Jordão, mergulhou sete vezes e estava curado. Esta cura ficou registrada no segundo Livro dos Reis e é uma das preciosidades do povo de Israel.
Assim também o evangelho nos apresenta o pobre leproso que, de joelhos, fez a belíssima oração: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me curar”. E Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica curado”. E na mesma hora a lepra desapareceu e ele ficou curado. (Cf Mc 1,40-42). É claro que a fama de Jesus se espalhava sempre mais.
Nestes casos de lepra, havia ainda um agravante. Tratava-se de uma doença contagiosa. Então, os que eram atacados pela doença eram excluídos da comunidade e não podiam mais frequentar ambientes públicos. Passavam a residir nos bosques, fora da cidade. Por isso Jesus manda o leproso curado ao sacerdote para oferecer um sacrifício e receber a sua reintegração na comunidade. Estava curado e isto merecia ser comemorado.
São Paulo, que conhecia todas estas tradições, se apresenta dizendo: “Não escandalizeis ninguém, nem judeus, nem gregos, nem a Igreja de Deus. Fazei como eu, que procuro agradar a todos em tudo, não buscando o que é vantajoso para mim, mas o que é vantajoso para todos, a fim que de que sejam salvos” (1Cor 10,32-33).