Diocese de Novo Hamburgo

João Batista é a voz do deserto - A Voz da Diocese 609

Dom Zeno

Quando hoje observamos um pouco o povo de nossas cidades, caminhando para o Natal, para o final do ano, e para as férias, percebe-se claramente que a preocupação não está centralizada no personagem central, no Filho de Deus que nasce, e nem na salvação que o nascimento de Jesus veio trazer para toda a terra.

         Ele é chamado Salvador porque nos salvou da perdição definitiva, do mergulho no pecado e na separação de Deus em que vivia toda a humanidade. Jesus Cristo, assumindo carne humana, veio viver no meio de nós, como homem e sofreu uma morte dolorosa, para nos salvar.

         Agora nós já vamos para o segundo domingo do advento, estamos caminhando rapidamente para o Natal do Senhor, e o Evangelho deste domingo nos apresenta João Batista dizendo: “Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘preparai os caminhos do Senhor, endireitai as suas veredas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados. E todas as pessoas verão a salvação de Deus’” (Lc 3,4-6).

         O mundo de hoje mais uma vez se parece com um deserto. Parece que a voz de Deus não tem eco. Gostaríamos que todo o nosso povo já se concentrasse em torno do tema central do advento, que as famílias se voltassem para aquele que é o centro de tudo, mas especialmente do natal que se aproxima.

É claro que o fim do ano traz as suas preocupações. Todo mundo sempre correndo contra o tempo, mas é indispensável tirar um tempo e pensar em nossa preparação interior para viver este grande acontecimento do Natal. 

         Talvez a justa medida de nossa caminhada para o Natal se encontre na Carta de Paulo aos Filipenses, que tomaremos como segunda leitura deste 2º domingo do advento: “Sempre e em todas as minhas orações rezo por vós, por causa da vossa comunhão conosco... E isto eu peço a Deus: que o vosso amor cresça sempre mais, em todo o conhecimento e experiência, para discernirdes o que é melhor. E assim ficareis puros e sem defeito para o dia de Cristo, cheios de fruto da justiça, que nos vem por Jesus Cristo, para a glória e o louvor de Deus” (Fl 1, 4.9-11).