Diocese de Novo Hamburgo

Festa de São João Batista - 269

Neste próximo domingo, nós celebramos a festa do nascimento de São João Batista. Neste caso, a solenidade prevalece sobre a liturgia dominical.

Trata-se do filho de Zacarias e Isabel, primo de Jesus, que nasceu de modo milagroso, de pais já idosos, e recebeu o nome de João, por vontade de Deus. Como ele pregava a penitência e a conversão e batizava a todos, com o batismo da água e do arrependimento, era chamado de Batista.

Já antes de nascer, esta criança chegou a estremecer no ventre materno, por ocasião da visita de Maria a sua prima Isabel. Ele foi enviado por Deus para “endireitar os caminhos do Senhor”, santificado pela graça divina, antes mesmo que seus olhos se abrissem à luz.

“Eis, diz Isabel, repleta do Espírito Santo, a Maria, quando tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre”.

Conforme a cronologia sugerida pelo arcanjo Gabriel, o nascimento do precursor foi fixado pela Igreja latina três meses após a Anunciação e seis meses antes do Natal. Santo Agostinho nos testemunha que esta festa já era celebrada a 24 de junho, em todo o norte da África, no início do século V.

São João Batista foi o primeiro santo venerado na Igreja universal com uma festa litúrgica particular, em data antiqüíssima e marcada para o dia do seu nascimento. Em todos os outros santos, sempre lembramos o dia da morte, isto é, da entrada na posse da vida definitiva.

São João Batista se localiza entre o Antigo e o Novo Testamento... É o último profeta e o primeiro apóstolo... É dele que está escrito: “Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente; ele preparará o teu caminho diante de ti”.

A missão do Batista era anunciar o Cristo, aquele que tira os pecados do mundo: “Eu envio à frente meu mensageiro para que me prepare o caminho” (Lc 7, 27). Portanto, a missão é preparar o caminho do Senhor. Por isso João dizia: “Eu devo diminuir, Ele deve crescer”. A mística do precursor é tornar-se pequeno, humilde, orientar-se para o Cristo, para a salvação do povo.

João batizou o Senhor nas águas do rio Jordão, reprovou publicamente a hipocrisia e a imoralidade. Inclusive denunciou a convivência imoral de Herodes com a mulher do irmão dele, Filipe. Despertou o entusiasmo do povo, mas o ódio de Herodíades e o mau humor dos fariseus. Como conseqüência sua cabeça rolou, levada num prato por Salomé, por instigação de Herodíades.

Ele foi colocado para nós como o maior dos nascidos de Mulher. Um modelo de Discípulo e de Missionário. Um homem que anuncia e denuncia. Um santo!