ministros1Na santíssima Eucaristia está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, isto é, o próprio Cristo, a nossa Páscoa e o pão vivo que dá aos homens a vida mediante o Espírito Santo.
Levar a comunhão aos fiéis e também aos devotos que estão enfermos e não podem participar das celebrações. A partilha do corpo de Cristo é uma das incumbências dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão.
Tendo em vista estes objetivos, foi realizada ontem, 18 de março, a primeira etapa do Curso para ministros extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística da Diocese de Novo Hamburgo na Paróquia Nossa Senhora Medianeira, bairro Vicentina de São Leopoldo, das 8h às 15h30.  
O bispo diocesano, dom Zeno Hastenteufel, presidiu a missa de abertura e ressaltou o fato de no Ano do Laicato estarem presentes mais de 80 candidatos.
Após a celebração eucarística, os candidatos foram recepcionados no auditório e dom Zeno fez questão de acolher cada paróquia ali representada.
Antes de assumirem as suas funções, os candidatos recebem uma formação litúrgica e doutrinal, para que possam exercer o seu ministério com a máxima dignidade e decoro.
O curso terá os seguintes instrutores: o diretor espiritual do Seminário Menor Maria Auxiliadora de Dois Irmãos, Pe. Diego dos Anjos Soares, que abordará a Doutrina da Igreja Católica, e o coordenador diocesano da Comissão de Ministros (COMI), Pe. Eurípedes Ferreira Nascimento, que refletirá sobre a Liturgia.  
Para a candidata Mara Fridrich, da Paróquia São Jorge, são imprescindíveis para a função: responsabilidade, devoção, carinho e amor.
O que são os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão?
Após o Concílio do Vaticano II (1962-65), o Papa Paulo VI autorizou a instituição dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC), fiéis leigos, cuja missão é facilitar aos celebrantes a distribuição da Eucaristia em igrejas, capelas, hospitais, aos doentes nas casas e a outros lugares, desde que o sacerdote não possa fazer isso.
Este ministério sagrado deve ser exercido por leigos que tenham uma vida cristã autêntica, sejam maduros na fé e possam servir a Igreja.
Além disso, o MESC deve ter uma boa formação doutrinária, pois pode, também, realizar a Celebração da Palavra, orientar as pessoas a quem leva a Eucaristia. Ele deve ensinar e viver o que a Igreja ensina, especialmente em relação à Eucaristia e as condições para recebê-la dignamente. Isto exige do ministro que ele conheça a Doutrina da Igreja, especialmente a fundamentação dogmática, moral e sacramental.
ministros2
Fotos: Valdir Simplício da Silva / Pascom da Paróquia São Jorge / Bairro Campina de SL